undefined
Divulgação/Canil PM
Material apreendido pela cadela Dara do Canil da PM

"Quem trabalha com cão, não precisa de denúncia". Essa frase do Soldado João Vitor pode ser o retrato de muitas ocorrências do Canil da PM. Nessa segunda-feira (19), o tráfico sentiu mais uma vez o impacto das operações dos cães de faro.

Leia também: Policial Militar nega suborno de criminosos e apreende R$ 1,8 milhão em SP

A favela do Coruja, zona norte, é conhecida por ter uma ação forte do tráfico de drogas. Para combater o crime, o Canil da PM montou uma incursão. "Chamamos esse tipo de ação de patrulhamento de alto risco. Eram 4 viaturas, 10 PMs e a cadela Dara. Fizemos tudo de uma forma segura. Quando a gente chega, sempre há aquela correria, mas a gente tenta sempre manter a segurança da nossa equipe. É preciso ter calma e seguir o direcionamento do cão", revela o Soldado João Vitor.

A tranquilidade dos Policiais e a eficiência da cadela não demoraram muito para mostrar resultado. A incursão começou às 13h e duas horas depois, os PMs já apresentavam o material recolhido na Delegacia.

"Fomos entrando pelas vielas e em um certo ponto, a Cadela Dara apontou para a presença de algo em um barraco. Ela ficou em pé, isso é um indicativo que existia drogas no segundo andar. Era um local abandonado que devia ser um ponto de embalagem dos entorpecentes. Tinha uma mesa com material de embalo, faca, balança e droga. Na hora não tinha ninguém ali, mas era um ponto do tráfico que só foi possível descobrir com o trabalho da cadela", diz o Soldado João Vitor.

Leia também: Polícia Militar Ambiental prende caçador que vendia espetinho de sabiá na praia

Ao todo, os PMs apreenderam sete tijolos de maconha; 60 porções menores maconha; 50 eppendorfs com cocaína; 900 porções de crack; R$ 182,00; quatro celulares iPhone e uma balança de precisão. A droga foi apresentada no 9º Distrito Policial.

Quais são as raças de cães que a PM usa? 

São seis raças: Pastor Alemão, Pastor Holandês, Pastor Belga Malinois, Rottweiler, Bloodhound e Labrador. As missões de cada raça são divididas de acordo com suas habilidades específicas, como: faro, resistência, inteligência, agressividade, etc...

Leia também: Em área de grande risco, Canil da PM ataca centro de distribuição de drogas

Um Labrador, por exemplo, não é indicado para fazer policiamento ostensivo, porque geralmente não possui a agressividade necessária. Normalmente, o Labrador é usado para farejar entorpecentes e explosivos. Já o Pastor Belga Malinois é utilizado pelo Canil da PM para policiamento e também faro. O Bloodhound tem aptidão para busca de pessoas.

    Veja Também

      Mostrar mais