Quantidade de lixo reunida é tão grande que maquinas não estão dando conta de retirá-la do local
Reprodução
Quantidade de lixo reunida é tão grande que maquinas não estão dando conta de retirá-la do local

Uma bolha gigante (e nojenta) de lixo pesando 330 toneladas entope os esgotos da cidade de Birmingham, na Inglaterra . Além do peso, a quantidade de resíduos ocupa um quilômetro, tanto que vai levar até junho para que se abra caminho na massa de gordura.

Em inglês, essa bolha é chamada de “ fatberg ”, que se refere à solidificação da gordura (fat, em inglês) e outras matérias orgânicas e inorgânicas encontradas nos esgotos. As “fatberg” não quebram ou dissolvem, bloqueando assim a passagem do esgoto de Hodge Hill.

À BBC , a empresa de águas Severn Trent afirmou que essa bolha de lixo é um dos maiores entupimentos que já precisou lidar. Além do 1 km de comprimento, a fatberg de Birmingham tem um metro de altura. Ela foi descoberta quando o fluxo de esgoto passou a se mover mais lentamente que o normal.

“Essa massa gigante é o resultado de todas as pessoas, ocasionalmente, lavando ou dando descarga nas coisas erradas, que entram pelo encanamento, e sem perceber o impacto que aquilo tem”, explicou Scott Burgin, gerente de operações da empresa.

O gerente pediu que os moradores da cidade esperem que a gordura oriunda de alimentos cozinhados esfrie antes de ser jogada na tubulação. Além disso, nada de jogar outra coisa que não seja papel higiênico no vaso sanitário . Todo o resto precisar ir na lixeira.

Você viu?

Para desentupir os esgotos da cidade, a Severn Trent precisou cavar um buraco de oito metros, a fim de acessar a tubulação obstruída. Os trabalhadores vão usar jatos de alta pressão para quebrar a bolha aos poucos. Caso não funcionem, eles precisarão mesmo de pás.

“Às vezes é muito difícil, porque é como concreto. Na verdade, teremos que entrar lá e cavar com uma pá. Mas estamos esperando que os jatos tirem essa bolha daqui”, explicou Sarah O’Kane, também da Severn Trent.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários