Tamanho do texto

"Eu sinto que é hora de deixar todos saberem que meu casamento chegou ao fim", postou a irlandesa Amanda Teague, no Facebook, após romper relacionamento de 11 meses com fantasma que morreu há 300 anos

Amanda e Jack se casaram no começo do ano; a relação com o fantasma chegou ao fim, segundo publicação da irlandesa
Reprodução/Triangle News
Amanda e Jack se casaram no começo do ano; a relação com o fantasma chegou ao fim, segundo publicação da irlandesa

Se existe alguma coisa que possa ser mais inacreditável do que uma mulher casando com um fantasma pirata, é a mesma mulher entrar em processo de divórcio com esse fantasma.

A irlandesa Amanda Teague, de 45 anos, casou-se com o fantasma Jack, um pirata haitiano de 300 anos, em janeiro deste ano . Mas a relação não deu certo e a mulher acabou anunciando em seu Facebook que estaria se divorciando do marido.

Amanda é natural da Irlanda do Norte e teve cinco filhos com seu ex-marido (um humano). Além disso, é uma grande admiradora do pirata Jack Sparrow e, inclusive, trabalha como imitadora do pirata.

A irlandesa não explicou qual foi o motivo do divórcio, mas deixou um alerta para os seus seguidores. “Eu explicarei tudo no momento certo, mas por agora tudo o que eu quero dizer é: sejam BASTANTE cuidadosos ao entrar em contato com o paranormal. Não é algo para se mexer.”

Leia também: Autoridades desvendam mistério do "navio fantasma" em Mianmar

O ‘casal’ ficou junto por 11 meses. Na época, Amanda havia afirmado que seu casamento com o fantasma é “como o de todo casal”. Eles viviam juntos, iam a encontros românticos e, por mais que a irlandesa tivesse alegado ser assexual, acabou admitindo que mantinha relações sexuais com o pirata fantasma . “Eu disse a ele que não satisfeita em ter relações casuais com um fantasma e queria oficializar o nosso compromisso”.

Para Amanda, o fato de seu agora ex-marido ser um fantasma é apenas um detalhe, já que ela afirmava nunca ter sentido uma conexão e uma sintonia tão forte com outra pessoa, como sentia com o Jack. Ela ainda relata que a história de vida dele foi o que uniu os dois: ele era um pirata haitiano de cabelos escuros e que foi executado por alguns crimes que cometeu em 1700.

Apesar disso, Amanda contou, quando se casou, que estava receosa em entrar em um relacionamento com o fantasma, até o momento em que descobriu que vários casos entre humanos e espíritos acontecem hoje em dia. “Muitas pessoas estão em relacionamentos espirituais, só não gostam de falar sobre isso. Amo estar com Jack, ele é muito poderoso, consegue ligar e desligar luzes e mover objetos".

Leia também: 'Caçador de fantasmas' é flagrado pelado e preso em portão de casa abandonada

Por mais inerente que pareça, a irlandesa tinha o completo apoio da família e isso foi um fator crucial para que Amanda decidisse se casar com Jack, que aconteceu durante uma cerimônia em alto mar, dentro de um barco alugado que comportava 12 amigos próximos e familiares. Na cerimônia, o fantasma foi “representado” por uma bandeira pirata. “Foi muito importante para mim, sempre sonhei com aquelas cerimonias tradicionais, com vestido branco e tudo o que tenho direito”, lembra.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.