Tamanho do texto

Após enviar cartas de despejo e até oferecer dinheiro para que o 'marmanjo' encontrasse um lugar para morar, os pais decidiram apelar para a justiça

Depois de ficar desempregado, o filho de Christina e Mark Rotondo voltou para a casa dos pais e nunca mais saiu
Reprodução/Crime Watch Daily
Depois de ficar desempregado, o filho de Christina e Mark Rotondo voltou para a casa dos pais e nunca mais saiu


Os americanos Christina e Mark Rotondo, moradores da cidade de Camillus, no estado de Nova York, entraram com uma ação judicial um tanto quanto incomum. Eles decidiram processar o próprio filho para que ele fosse morar sozinho, e o juiz decidiu a favor dos reclamantes, obrigando o homem a sair da casa dos pais.

Leia também: Chinesa tenta arrancar língua de ex-namorado durante 'beijo de despedida'

De acordo com o The Guardian , tudo começou há oito anos, quando Michael Rotondo ficou desempregado, voltou para a casa dos pais e nunca mais saiu. Agora, com 30 anos de idade, o filho  continua morando com Christina e Mark, sem ajudar com as tarefas domésticas e nem com as contas da residência.

O casal começou a ficar incomodado com a situação e fez tudo o que podia para que ele saísse da residência. Eles passaram os últimos meses enviando cartas de despejo para Michael, e uma delas, escrita em fevereiro, diz: “Depois de uma discussão com a sua mãe, nós decidimos que você deve deixar essa casa imediatamente. Você tem 14 dias para sair. Você não será autorizado a retornar. Vamos tomar quaisquer ações necessárias para sustentar essa decisão”.

Como a estratégia das cartas não funcionou, eles decidiram oferecer dinheiro para resolver o caso. Michael recebeu mais de mil dólares, cerca de R$ 3,6 mil, para encontrar um lugar para morar, além de o incentivarem a encontrar um emprego – apesar de ele alegar que já administra um site.

Leia também: Turistas bêbados colocam fogo em hotel após tentativa de queimar pé de amigo

Último recurso para tirar o filho de casa

Sem saber o que fazer, os dois recorreram à justiça, em abril e, na Suprema Corte do país, entraram com uma ação e conseguiram marcar uma audiência para essa terça-feira (22). Michael, que estava representando a si mesmo, argumentou que tinha seu próprio quarto, um emprego e também que lavava as próprias roupas.

Leia também: Homem sob efeito de ecstasy há cinco dias é preso ao encher banheira com batatas

O juiz responsável pelo caso, porém, decidiu que Christina e Mark estão com a razão e ordenou a saída do filho da casa dos pais. Mas pode ser que o caso volte à Corte, já que Michael considerou a decisão “revoltante” e pretende entrar com um recurso.

    Leia tudo sobre: casa
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.