Tamanho do texto

Parentes da vítima acreditam que morte poderia ser evitada por bons médicos; caso aconteceu em 2014, porém família só foi indenizada ontem

Segundo advogado, morte da idosa poderia ser evitada se a equipe médica mantivesse um padrão de atendimento
Reprodução/Metro.co.uk
Segundo advogado, morte da idosa poderia ser evitada se a equipe médica mantivesse um padrão de atendimento

Uma idosa morreu engasgada com um sanduíche de ovos após a equipe de um hospital localizado em Maine, nos Estados Unidos, não lembrá-la de colocar a dentadura para fazer a refeição.

Leia também: Indiano corta cabeça de amante com uma foice por acreditar em suposta traição

Lillian Hugill, que tinha 84 anos, havia sido internada no Hospital York para tratar uma infecção urinária. O caso ocorreu em 2014 mas, só nesta quinta-feira (4), a família da idosa foi indenizada pelo descuido. O valor não foi divulgado.

O genro de Lillian afirmou ao jornal Metro  que, devido à ausência da prótese dentária inferior, ela não conseguiu mastigar a comida que lhe foi dada. "Como alguém pode ser internado no hospital com uma infecção básica de urina e isso acontecer?”, lamentou.

O marido da paciente, Sr. Garbutt, entrou na justiça junto à filha, Linda Garbutt, para que uma providência pudesse ser tomada contra o hospital. Em setembro de 2015, o legista Jonathan Leach registrou uma conclusão de morte acidental.

Sr. Garbutt relata ainda que os médicos deram morfina à mulher para que ela não sentisse dor, porém, ressalta que os cuidados não foram o suficiente.

Leia também: Motoqueiro fantasma? Moto é flagrada sem condutor e assusta internet; assista

“Ela ficou consciente por um curto período de tempo, mas não conseguia se comunicar. Ali, descobrimos que o ocorrido havia sido devastador. Algo tinha que ser feito para melhorar os padrões de cuidados e garantir que as lições sejam aprendidas", disse. 

Os advogados que atuam em nome da família expuseram que se a equipe médica tivesse sido cuidadosa e atenciosa com a condição de Lillian, sua morte poderia ter sido evitada. Para o procurador Tasmin White "este é um caso e um exemplo trágico de padrões de cuidados básicos em relação ao tratamento de pacientes idosos e vulneráveis que não ​​foram seguidos”.

Leia também: Chinesa espanca filha até a morte por considerá-la muito 'desobediente'

Segundo um porta-voz do hospital, o acordo com a família da idosa acaba de ser cumprido. “Nós, funcionários do Hospital York lamentamos as circunstâncias da morte da Sra. Hugill e sentimos o impacto que isso teve em sua família".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.