A história das tensões entre Pequim e Taipé remete à Guerra Civil Chinesa
Presidência de Taiwan
A história das tensões entre Pequim e Taipé remete à Guerra Civil Chinesa

A China suspendeu nesta quarta-feira (03) as exportações de areia natural à Taiwan e interrompeu as importações de frutas cítricas e produtos de pesca congelados importados da ilha de Taiwan que é considera chinesa porém tem governo próprio, denominando-se autogovernada. 

O motivo das sanção é a visita à Taiwan da presidente da Câmara dos Deputados dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, em uma viagem sem anúncio na agenda oficial e que foi condenada pelo alto escalão político de Pequim.

Antes mesmo da visita, a alfândega chinesa emitiu um comunicado suspendendo as importações de 35 empresas exportadores taiwaneses de biscoitos e doces já na segunda-feira 01 de agosto.

Histórico de sanções nas importações e exportações 

As exportações de areia natural, usadas na construção civil e produção de concreto em Taiwan foram suspensas a partir de quarta-feira. A medida está baseada em leis e regulamentos entre os países. 

Apenas no início desse ano, as importações chinesas de Taiwan atingiram US$ 122,5 bilhões, apresentando uma alta de 7,3% em relação ao ano anterior. Os principais produtos são de circuitos integrados e componentes eletrônicos.

A China também interrompeu as importações de frutas cítricas e peixes congelados de Taiwan a partir de quarta-feira. A suspensão foi motivada devido a resíduos de pesticidas encontrados em frutas cítricas e vestígios do novo coronavírus detectados na embalagem de alguns congelados de pescados em junho.

No início deste ano, a China suspendeu as importações de garoupa de Taiwan, afirmando ter detectado produtos químicos proibidos no alimento. No ano passado, Pequim também suspendeu as importações de abacaxi, maçã e cera da ilha, diante de preocupações com a presença pragas.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários