O Batalhão de Azov em foto de 2016. As bandeiras ao fundo mostram os símbolos da Otan, o
Reprodução/Redes Sociais - 02.07.2022
O Batalhão de Azov em foto de 2016. As bandeiras ao fundo mostram os símbolos da Otan, o "Wolfsangel" (gancho do lobo) e a suástica nazista... Leia mais no texto original: (https://www.poder360.com.br/europa-em-guerra/quem-sao-os-neonazistas-ucranianos-que-putin-diz-combater/) © 2022 Todos os direitos são reservados ao Poder360, conforme a Lei nº 9.610/98. A publicação, redistribuição, transmissão e reescrita sem autorização prévia são proibidas.

A Suprema Corte da Rússia definiu o Regimento de Azov, milícia de extrema direita incorporada às Forças Armadas da Ucrânia, como "organização terrorista".

A decisão anunciada nesta terça-feira (2) atende a um pedido do Ministério Público e permite penas mais duras para membros do grupo.

O código penal da Rússia prevê até 10 anos de prisão para integrantes de organizações terroristas e até 20 anos de cadeia para seus líderes.

O Batalhão de Azov foi formado por militantes de extrema direita em 2014, na esteira dos conflitos separatistas no leste da Ucrânia, e depois seria incorporado como um regimento da Guarda Nacional.

Acusado pelo Kremlin de neonazismo, o grupo liderou a resistência contra a ocupação russa em Mariupol, cidade da província de Donetsk na costa do Mar de Azov, de onde vem o nome do regimento.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários