Autoridades locais afirmam que mesquitas, lojas e casas foram destruídas
Reprodução: Facebook / Bakhtar News Agency
Autoridades locais afirmam que mesquitas, lojas e casas foram destruídas

Subiu para 1.030 mortos o terremoto de magnitude 6,1 na escala Richter que atingiu o sudeste do Afeganistão na madrugada desta quarta-feira (22). O número pode ser maior e deve aumentar, uma vez que há vilarejos afetados que ficam em áreas remotas, de difícil acesso. Até o momento, foram registrados também mais de 1.500 feridos. Autoridades locais afirmam que mesquitas, lojas e casas foram destruídas, segundo a Bakhtar News Agency, a agência oficial de notícias estatal do governo afegão.

De acordo com o Centro Geológico dos Estados Unidos (USGS, na sigla em inglês), o tremor aconteceu a 10 quilômetros de profundidade, por volta das 1h30, em uma área perto fronteira com o Paquistão. Danos ou vítimas no país vizinho não foram relatados. O terremoto foi sentido em várias províncias da região, assim como na capital, Cabul.

O Afeganistão registra terremotos com frequência, em particular na região de Hindu Kush, que fica entre o Afeganistão e o Paquistão, na união das placas tectônicas eurasiática e indiana. As catástrofes podem ser devastadoras devido à pouca resistência das casas rurais afegãs. Em outubro de 2015, um terremoto de magnitude 7,5 na escala Richter, que atingiu as montanhas de Hindu Kush, deixou mais de 380 mortos nos dois países. 

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o perfil geral do Portal iG .

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários