Polícia chinesa prendeu nove homens que participaram da agressão
Reprodução
Polícia chinesa prendeu nove homens que participaram da agressão

Nove homens foram presos na China após atacarem um grupo de mulheres em um restaurante na cidade de Tangshan, na província de Hebei, nesta sexta-feira. As imagens do caso repercutiram nas redes sociais chinesas e levantaram debates sobre o assédio e a violência contra mulheres no país.

A hashtag sobre o caso acumulou mais de meio bilhão de menções na rede social Weibo, a principal da China.

Gravações de câmeras de segurança mostram como aconteceu a agressão. Nelas, é possível ver quando um homem coloca suas mãos sobre os ombros de uma mulher que conversa com suas amigas em uma mesa de restaurante. Após ela sinalizar para o homem se afastar, ele insiste e acaba por agredir a mulher, no que é acompanhado por outros homens. Outras mulheres acabaram sendo também agredidas pelo grupo ao socorreram a amiga.

Segundo o The Guardian, a polícia de Tangshan afirmou neste sábado que todos os nove homens envolvidos no episódio foram presos. Duas das mulheres agredidas precisaram ser internadas em um hospital, mas estão em condições estáveis. Outras duas sofreram lesões leves.

"A razão pela qual esses homens sentiram que poderiam agredir livremente a mulher por rejeitar seu assédio é porque muitos homens no passado ficaram impunes pelas autoridades por fazerem o mesmo", disse Yaqiu Wang, pesquisadora da Humans Right Watch, ao jornal inglês The Guardian.



Não é a primeira vez que episódios de violência contra mulheres provocam repercussão no país. No ano passado, um homem foi condenado por matar a ex-mulher durante uma transmissão online. O caso também causou comoção no país.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários