Sanções da UE ainda não são suficientes, diz Ucrânia
CC0 Domínio público / PxHere
Sanções da UE ainda não são suficientes, diz Ucrânia

Aprovadas pela UE (União Europeia) nessa segunda-feira (30), as novas sanções contra a Rússia ainda “não são suficientes” segundo Ihor Zhovkva, vice-chefe de gabinete do presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky.

Durante discurso em Madrid nesta terça-feira (31), Zhovkva afirmou que as medidas ainda não trouxeram satisfação aos ucranianos.

Durante cúpula em Bruxelas na segunda-feira, representantes da UE aprovaram um novo pacote de sanções contra a Rússia em retaliação a guerra na Ucrânia. O embargo parcial ao petróleo russo foi a grande decisão firmada entre os países do bloco.

O objetivo do novo acordo é cortar, até o fim do ano, 90% das importações de petróleo russo. Além disso, as medidas incluem embargos ao banco SberBank, banimento de 3 emissoras russas dos países integrantes da UE e atualização da lista de indivíduos sancionados pelo bloco.

“Se você me perguntar, eu diria muito lento, muito tarde e definitivamente não o suficiente”, disse Zhovkva sobre as medidas.

O vice-chefe do gabinete de Zelensky também se diz insatisfeito com o envio de armas do ocidente ao país.

Ainda na segunda-feira, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse que não enviará à Ucrânia sistemas de lançamento de foguetes de largo alcance (MLRS).

A Ucrânia solicitou o envio de equipamentos MLRS M270 diversas vezes desde a invasão russa. O armamento tem alcance de até 300 km e poderia chegar ao território russo. Outro armamento solicitado foi o M142 Himars, com alcance de 70 a 150 km. Os equipamentos são mais potentes que o M777 —atualmente fornecido ao governo ucraniano — que chega a 40 km.

Segundo Zhovkva, o envio de armamentos é necessário para ajudar a expulsar as forças russas do país.

“Se estivéssemos satisfeitos, teríamos começado a libertação de Mariupol imediatamente e expulsado as forças russas de Donbas”, disse. “Acreditamos em promessas”.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários