Refugiados ucranianos em abrigo
Reprodução / AFP
Refugiados ucranianos em abrigo

Pela primeira vez, o  número de pessoas forçadas a fugir de conflitos, violência, violações de direitos humanos ou perseguição ultrapassou a marca de 100 milhões em todo o mundo, segundo a Agência da ONU para Refugiados (Acnur), em relatório divulgado nesta segunda-feira. O  conflito entre Rússia e Ucrânia seria um dos principais responsáveis por impulsionar a marca.

"Cem milhões é um número gritante, preocupante e alarmante em igual medida. É um recorde que nunca deveria ter sido estabelecido", disse o comissário da ONU para Refugiados, Filippo Grandi.

"Isso deve servir como um alerta para resolver e prevenir conflitos destrutivos, acabar com a perseguição e abordar as causas subjacentes que forçam pessoas inocentes a fugir de suas casas."

'A única resposta é paz'

Segundo a entidade, conflitos prolongados em países como Etiópia e República Democrática do Congo foram outros fatores por trás dos altos números. Para o levantamento, foram utilizados dados que incluem refugiados, requerentes de asilo e deslocados dentro de seus próprios países por conflitos, que representam 53,2 milhões do total de 100 milhões de pessoas.

Grandi também pediu que sejam feitas ações para lidar com as causas do deslocamento, afirmando que a ajuda humanitária consegue apenas tratar das consequências.

"Para reverter essa tendência, a única resposta é paz e estabilidade para que pessoas inocentes não sejam forçadas a jogar entre o perigo agudo em casa ou a fuga precária e o exílio", acrescentou.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários