Presidente ucraniano Volodymyr Zelensky
Reprodução/Twitter
Presidente ucraniano Volodymyr Zelensky

Nesta segunda-feira (23), o presidente ucraniano Volodymyr Zelensky abriu o Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça, e pediu que os outros líderes mundiais trabalhem para criar mecanismos que impeçam novas guerras. Neste ano, a Rússia foi proibida de participar do evento devido à invasão à Ucrânia, que completa três meses nessa terça (24) .

"Vemos que o mundo escuta e acredita na Ucrânia, mas precisamos aprender a como prevenir esse tipo de guerra no futuro. Não esperem que a Rússia use as armas químicas, biológicas e nucleares. Protejam a liberdade, para que a Rússia e qualquer outro país do mundo que pense em invadir seu vizinho tenha sanções imediatas", disse Zelensky em discurso.

O presidente afirmou que é preciso que haja um "precedente de punição aos agressores" em situações de conflito como a que acontece agora.

"Se o agressor perder tudo, isso será o preço que terminará com a motivação para que comece ou continue uma guerra. O mundo ainda não tem as ferramentas prontas para isso. A motivação para nós é muito simples: a humanidade deveria ter as ferramentas para se proteger contra a fome", acrescentou.

De acordo com Zelensky, a Ucrânia vai precisar de pelo menos US$ 5 bilhões (cerca de R$ 24,4 bilhões) mensais para reconstruir o país após a destruição  causada pela guerra com a Rússia. Autoridades da União Europeia (UE) já estimaram o valor em trilhões de euros.

Confiscar bens de apoiadores russos

Hoje, o presidente ucraniano também sancionou uma lei que permite que o governo apreenda bens das pessoas que apoiam a Rússia no conflito . Segundo a nova medida, qualquer um que apoie as tropas do presidente Vladimir Putin corre o risco de ser levado ao Supremo Tribunal Anticorrupção da Ucrânia.

"O procedimento de identificação e confisco de bens de pessoas sancionadas que de uma forma ou de outra apoiam a agressão dos ocupantes contra a Ucrânia permitirá reabastecer de forma rápida e eficaz o orçamento ucraniano às custas dos inimigos. A lei fornece instruções claras para os órgãos responsáveis por este processo. Espero a cooperação produtiva de todos os seus participantes", disse o presidente em comunicado.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários