Secretário-geral da Otan
Reprodução
Secretário-geral da Otan

Nesta terça-feira (17), o Parlamento da Finlândia aprovou petição do governo para que o país se candidate para aderir à Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) . O pedido foi aprovado por maioria ampla.

O porta-voz do parlamento, Matti Vanhanen, informou que 188 parlamentares votaram a favor da medida, e somente 8 contra.

Em comunicado, a Casa Branca informou que o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, vai receber a primeira-ministra da Suécia, Magdalena Andersson, e o presidente da Finlândia, Sauli Niinistö, para falar sobre o pedido de entrada dos países na aliança militar.

Nesta segunda, o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, disse que o país não vai aprovar a entrada da Suécia e Finlândia na Otan , já que, para que um novo membro seja admitido na aliança, é preciso que os atuais integrantes concordem com o ingresso do país.

O líder turco enfatizou que seu país "não cederá" sobre a adesão dos dois países escandinavos. "Como podemos confiar neles?", disse Erdogan, acusando mais uma vez a Finlândia e a Suécia de acolher "terroristas" do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), movimento que luta pela criação de um Estado curdo.

"A Suécia em particular, é um terreno fértil para organizações terroristas. Não cederemos à adesão à Otan daqueles que aplicam sanções contra a Turquia", acrescentou Erdogan.

Entre no canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo . Siga também o perfil geral do Portal iG .

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários