Senado dos EUA barrou projeto de lei que ampliaria acesso ao aborto no país
Reprodução
Senado dos EUA barrou projeto de lei que ampliaria acesso ao aborto no país


O Senado dos Estados Unidos barrou nesta quarta-feira (11) um projeto de lei apresentado pelos democratas para ampliar o  acesso ao aborto no país.

A medida, que previa o direito das mulheres ao acesso ao aborto em nível federal, precisava obter 60 votos para ser aprovada, mas foi bloqueada com 49 votos a favor e 51 contra.

Todos os republicanos votaram contra, enquanto que, no grupo de democratas, apenas o senador Joe Manhcin ficou do lado dos conservadores.
"Continuaremos a lutar pelas mulheres", disse o presidente americano, Joe Biden, após seu projeto de lei ser barrado.

A norma que estava sendo debatida tinha o objetivo de proteger o direito ao aborto seguro no território americano, ainda que a Suprema Corte vote para derrubar o caso "Roe contra Wade", a histórica decisão de 1973 que legalizou o aborto nos EUA.


A votação foi realizada depois do vazamento de um rascunho em que há a informação de que cinco dos nove juízes aprovam o fim do direito ao aborto no país. A decisão seria anunciada formalmente em junho.

Há uma semana, o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom, fez um apelo a favor do direito ao aborto. 

"Restringir o acesso ao aborto não reduz o número de procedimentos, apenas leva as mulheres e meninas a realizarem procedimentos inseguros. O acesso ao aborto seguro salva vidas", escreveu Adhanom no Twitter, sem mencionar diretamente os Estados Unidos.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários