Equipes atendem feridos no Hospital Okhmadyt, em Kiev
Reprodução
Equipes atendem feridos no Hospital Okhmadyt, em Kiev

Nesta terça-feira (10), o chefe da Organização Mundial da Saúde (OMS) na Europa, Hans Kluge, disse que há pelo menos 3 mil pessoas mortas na Ucrânia pela falta de acesso a tratamentos para doenças crônicas.

Segundo Kluge, até o momento, cerca de 200 ataques a instalações de saúde na Ucrânia foram registrados. Com isso, há poucos hospitais em funcionamento no país. A declaração foi dada durante reunião com participação de 53 representantes de estados membros da OMS.

Segundo o chefe europeu da organização, 40% das famílias têm ao menos um membro que necessita de tratamento crônico e não conseguem encontrar, “resultando em uma estimativa de ao menos 3 mil mortes prematuras evitáveis”. Os casos são de doenças como HIV e câncer.

Na semana passada, integrantes da OMS discutiram a possibilidade de fechar o escritório da organização em Moscou, na Rússia. As informações são da agência internacional de notícias Reuters.

A Rússia manifestou oposição à medida. De acordo com o representante russo na reunião, Andrey Plutnitsky, a OMS estava politizando a cooperação no campo da saúde.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários