Ucrânia alega que usou drone para destruir navios de patrulha russos no Mar Negro
Reprodução/Twitter/DefenceU 02/05/2022
Ucrânia alega que usou drone para destruir navios de patrulha russos no Mar Negro

As agências de inteligência dos Estados Unidos teriam fornecido informações que ajudaram as forças armadas de Kiev a atingir o cruzador de mísseis russo Moskva em 13 de abril, publicaram a emissora "CNN" e o jornal "The New York Times" nesta sexta-feira (6).

A explosão no Moskva, um dos navios mais emblemáticos de Moscou, culminou na morte de um marinheiro e no desaparecimento de outros 27. O Kremlin, por sua vez, nega o ataque e diz que houve um incêndio interno após a explosão de munição.

Conforme a "CNN", depois de ter avistado uma embarcação de guerra no Mar Negro, Kiev entrou em contato com Washington para confirmar se se tratava do Moskva. Os EUA então confirmaram e forneceram informações precisas sobre a localização. Porém, a emissora destaca que não sabe se os norte-americanos estavam envolvidos na decisão de atacar o cruzador.

Já o "NYT" ressalta, citando dois altos funcionários, que a inteligência dos EUA já havia recolhido informações precisas sobre o Moskva por conta própria e que só atuou na confirmação de identificação e coordenadas.

Essa é a segunda vez que a mídia norte-americana revela a ajuda de Washington com informações de inteligência. Um dia antes, publicaram que os militares do país orientaram sobre a localização de generais russos em batalha - a Ucrânia já matou quase uma dezena deles.

Na Rússia, uma resposta formal do Kremlin sobre o Moskva foi publicada por um canal russo chamado "VKontakte" e repercutida pela emissora ucraniana "NextaTV". Dmytro Skrebets, pai do soldado Yegor Skrebets que estava no navio afundado, questionou o governo sobre a atuação da embarcação no Mar Negro.

"O cruzador Mokva não atuava na operação especial na Ucrânia, não estava no elenco das unidades militares envolvidas e não entrou nas águas territoriais da Ucrânia", diz o comunicado enviado pelo próprio Dmytro ao canal russo. Sobre seu filho, a nota diz que ele "sumiu inesperadamente em alto mar e foi declarado desaparecido da unidade militar porque as buscas para localizá-lo não tiveram êxito".

Dmytro afirmou estar revoltado com a resposta. "A Snake Island não faz parte das águas territoriais ucranianas? Que abominação é enviar uma resposta dessas?", afirmou ao canal.

Antes do desaparecimento de Yegor, o pai do soldado era conhecido por elogiar o presidente Vladimir Putin e chegou a postar que a Ucrânia "não deveria existir". No entanto, desde o desaparecimento do filho, se tornou um dos poucos a criticar a guerra abertamente.

O Moskva era um importante e histórico cruzador de mísseis russo que estava em operação desde 1983. Ele estava embarcado com 16 mísseis com capacidade de ataque em até 700 quilômetros embarcados.

A embarcação foi usada na invasão da Geórgia e também na guerra da Síria. Após o incidente - que é alvo de uma guerra de versões -, os russos tentaram rebocar a estrutura para um porto, mas o Moskva acabou afundando no meio do trajeto.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários