O secretário de Estado dos Estados Unidos, Antony Blinken, e o secretário de Defesa, Lloyd Austin em reunião com o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, em Kiev
Divulgação/Twitter Lloyd Austin - 25.04.2022
O secretário de Estado dos Estados Unidos, Antony Blinken, e o secretário de Defesa, Lloyd Austin em reunião com o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, em Kiev

O secretário de Defesa dos Estados Unidos, Lloyd Austin, afirmou nesta terça-feira (26) que os p aíses ocidentais podem "fazer mais" para ajudar a Ucrânia a se defender contra a invasão russa .

Após ter visitado o presidente Volodymyr Zelensky em Kiev , Austin preside uma reunião extraordinária de ministros da Defesa de mais de 40 países na base aérea americana de Ramstein, na Alemanha, para discutir o conflito russo-ucraniano.

"A urgência da situação é conhecida por todos, e nós podemos fazer mais", declarou o chefe do Pentágono. "A Ucrânia fez um trabalho extraordinário ao se defender da agressão russa, e a batalha por Kiev entrará nos livros de história. Mas agora a situação mudou, com a ofensiva no sul e no Donbass, e precisamos entender do que a Ucrânia precisa para combater", acrescentou.

Além disso, Austin acusou o regime de Vladimir Putin de promover um "conflito de natureza imperialista" para "satisfazer suas próprias ambições". "É uma afronta aos povos livres", disse.

Leia Também

Já a ministra da Defesa da Alemanha, Christine Lambrecht, confirmou que o país vai autorizar o fornecimento do tanque blindado de combate antiaéreo Gepard para a Ucrânia. "Todos sabemos que a artilharia é um fator essencial neste conflito", declarou.

Segundo Lambrecht, a Alemanha vai treinar tropas ucranianas para o uso de sistemas de artilharia. Até agora, Berlim vinha mantendo prudência sobre a possibilidade de fornecer equipamentos militares para Kiev.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram  e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. 



    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários