Diversos pontos de Mariupol já foram bombardeados pelo exército russo
Reprodução / Twitter - 30.03.2022
Diversos pontos de Mariupol já foram bombardeados pelo exército russo

Pela primeira vez desde o início da sua agressão militar contra a Ucrânia, forças russas atacaram a cidade portuária ucraniana de Mariupol usando bombardeiros Tu-22M3 de longo alcance.

O equipamento costuma ser usado para bombardeios estratégicos, um tipo de ataque que tem o objetivo de derrotar o inimigo o desmoralizando, de modo que ele prefira a rendição a continuar a resistir. Por vezes, historiadores militares se referem a esses ataques como “bombardeios terroristas”.

O mais provável é que os bombardeiros contivessem bombas não guiadas, também conhecidas como bombas burras. Estas armas não contém sistema de orientação e, portanto, simplesmente seguem uma trajetória gravitacional. Este era o modo em que todos os bombardeiros operavam até o meio da Segunda Guerra Mundial.

Embora vários exercícios de guerra com os Tu-22M3 tenham sido documentados antes da invasão, ainda não havia relatos sobre as aeronaves em operação na Ucrânia. Mais de 100 unidades da aeronave, que começou a ser usada pela União Soviética em 1972, ainda fazem parte das Forças Armadas russas. O seu uso indica que, em breve, a Rússia poderá recoorer mais a eestes artefatos, em um uso mais brutal da força.

A Rússia está em guerra na Ucrânia há 51 dias, com poucos avanços nas últimas três semanas. Mariupol está sitiada desde a primeira semana da guerra, e autoridades ucranianas calculam que cerca de cem mil civis permaneçam na cidade.

O porta-voz do Ministério da Defesa ucraniano, Oleksandr Motuzianyk, citou o uso dos bombardeios em uma entrevista coletiva nesta quinta-feira. Ele disse que a Rússia continua a se reabastecer e deslocar tropas, para em breve intensificar a operação no Leste:

— O inimigo continua se concentrando na preparação para a ofensiva no Leste da Ucrânia, estabelecendo o controle sobre os territórios das regiões de Donetsk e Luhansk e garantindo um corredor terrestre com a Crimeia ocupada — disse Motuzianyk.

Ele acrescentou que “os ocupantes estão aumentando o número de unidades, mas as forças de defesa estão se fortalecendo e o inimigo não passará”.

Além de criar o corredor terrestre, Mariupol tem uma importância estratégica porque, uma vez dominada pela Rússia, poderá liberar forças para lutarem em outras áreas da Ucrânia.

Aos poucos, a Rússia vem conquistando posições dentro da cidade, e, considerando que as forças ucranianas não têm sido reabastecidas, é provável que em algum momento os invasores saiam vitoriosos.

Leia Também

A cidade, no entanto, ainda tem grandes bolsões sobre controle ucraniano, e é incerto quanto tempo demorará até haver o domínio sobre estas zonas, em ferrenhos combates urbanos. A defesa ucraniana se concentra sobretudo na área da usina siderúrgica de Azovstal, uma das maiores da Europa.

A Inteligência britânica, em seu boletim diário, disse que o controle sobre a cidade “exigirá níveis de força significativos”, e que “a defesa contínua da Ucrânia de Mariupol está atualmente prendendo um número significativo de tropas e equipamentos russos”.

A Rússia continua a atacar várias posições no Leste da Ucrânia, e, segundo o porta-voz do Ministério da Defesa ucraniano, a atividade mais intensa tem sido registrada em Slobozhansky (perto de Dnipro, no Sudeste) e em várias cidades da região de Donetsk no Leste.

Algumas destas áreas, como Kramatorsk e Kostiantynivka, também registram combates urbanos, e, segundo o boletim da inteligência britânica, “provavelmente serão alvos russos de níveis semelhantes de violência”. A Rússia aumentou sua presença em áreas atrás da linha perto de Izyum, a 300 quilômetros ao Norte de Mariupol.

Nesta sexta-feira, os EUA informaram que agora acreditam que o naufrágio do navio de guerra russo Moskva, a principal embarcação de guerra do Mar Negro, se deveu a um ataque com dois mísseis ucranianos Neptune. A informação corresponde ao informado pela Defesa ucraniana na quinta-feira.

Na cidade de Sebastopol, a maior da Crimeia (península anexada pela Rússia em 2014), moradores fizeram uma cerimônia em uma praça pública para se despedir do navio.

Na madrugada desta sexta-feira, houve vários relatos de ataques em partes da Ucrânia, com sirenes tocando em todo o país. Supostamente, a Rússia retaliava a perda da embarcação.

Segundo o porta-voz ucraniano, a Rússia disparou 3 mísseis em Kiev. Ele não especificou quais foram os alvos dos ataques, e alertou os moradores para ainda não voltarem para a região. Moscou disse que atacou uma fábrica de mísseis.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários