Emmanuel Macron lamentou não ter entrado nas campanhas eleitorais anteriormente
Reprodução
Emmanuel Macron lamentou não ter entrado nas campanhas eleitorais anteriormente

Nesta sexta-feira (8), o presidente da França, Emmanuel Macron , lamentou ter começado a  campanha eleitoral tarde, em comparação com seus concorrentes, já que as últimas pesquisas eleitorais têm mostrado uma diminuição da vantagem dele sobre Marine Le Pen, que disputa a corrida presidencial com ele.

Nas últimas semanas, a aprovação de Le Pen cresceu nos levantamentos e ela deve enfrentar um segundo turno com Macron — que ainda aparece à frente nas pesquisas, mas agora com uma vantagem dentro da margem de erro.

"Quem poderia ter entendido seis semanas atrás que de repente eu começasse comícios políticos, que me concentraria em questões domésticas quando a guerra começou na Ucrânia", afirmou  Macron à rádio RTL . "Portanto, é um fato que entrei [na campanha] mais tarde do que eu desejava", disse ele, acrescentando que continuou com um "espírito de conquista e não de derrota".

Ao jornal  Le Parisien , Macron disse que, caso Le Pen seja eleita nas eleições deste mês, o programa social dela — o qual chamou de "racista" — vai afetar investidores internacionais. "O programa dela criará desemprego em massa porque afastará investidores internacionais e não se sustentará em termos de orçamento", disse ele.

Leia Também

"Seus fundamentos não mudaram: é um programa racista que visa dividir a sociedade e é muito brutal."

Hoje, Le Pen disse à rádio France Info  que Macron "não conhece" seu programa. "Emmanuel Macron não conhece meu programa... Ele deve pensar que é o de Jean-Luc Mélenchon [concorrente de extrema-esquerda] ", afirmou.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários