Escombros em quartel ucraniano após míssil atingir o local
Reprodução/Twitter
Escombros em quartel ucraniano após míssil atingir o local

As autoridades de saúde da região de Sumy, na Ucrânia, acusaram nesta quinta-feira (24) a Rússia de não tirar os corpos dos soldados mortos em combate, o que pode representar uma "séria ameaça" à saúde do país.

Citado pela agência ucraniana "Unian", o diretor interino do departamento de Saúde de Sumy, Anatoly Kotlyar, afirmou que os corpos ficam na rua e são difíceis de identificar.

"A Rússia não remove os corpos dos soldados mortos do chão e isso representa uma séria ameaça à saúde da Ucrânia e ao meio ambiente. Os corpos estão em situação irregular e são difíceis de identificar", explicou o diretor.

Para tentar armazenar os cadáveres dos soldados russos, foram encomendados 10 contêineres frigoríficos, mas o bloqueio de algumas linhas ferroviárias impediu a chegada dos produtos.

De acordo com a "Unian", a Rússia manda a maioria dos corpos para Belarus, onde são colocados em vagões e enviados de volta para Moscou por via férrea. A estimativa de Kiev é que mais de 15 mil soldados russos foram mortos no conflito.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários