Reunião entre Ucrânia e Rússia em Belarus
Reprodução/Ministério das Relações Exteriores da República da Bielorrússia
Reunião entre Ucrânia e Rússia em Belarus

Em declaração dada após a segunda rodada de negociações entre a Rússia e Ucrânia, o representante ucraniano Mikhailo Podolyak afirmou que ambas as nações concordaram com a criação de corredores humanitários em áreas em conflito. No entanto, questões como o cessar-fogo não foram acordadas durante a reunião.

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky , ainda afirmou nesta quinta-feira (03) que a única forma de colocar fim à guerra é uma reunião com o presidente russo, Vladimir Putin .

Segundo o representante Podolyak, russos e ucranianos discutiram de forma detalhada questões humanitárias e concordaram com a criação de corredores para a retirada dos cidadãos e para a entrega de alimentos e medicamentos nas regiões mais afetadas.

Ele ainda sugeriu que os dois lados poderão estabelecer uma suspensão dos enfrentamentos durante as retiradas de civis, mas não detalhou o acordo.

Podolyak também confirmou que os representantes das duas nações voltarão a se encontrar "em breve" e que os resultados desta reunião não foram como esperado. 

"As negociações acabaram. Concordamos em continuar as negociações em uma terceira rodada o mais rápido possível", disse Podolyak, citado pela agência RIA Novosti. "Infelizmente, não obtivemos os resultados que esperávamos".

Do outro lado, o representante russo Vladimir Medinsky também confirmou o acordo sobre os corredores, assim como a proposta para um cessar-fogo temporário durante a retirada dos civis nas áreas próximas. Além disso, Medinsky indicou que há sinais de entendimento em outros pontos, mas não detalhou. 

Leia Também

Zelensky

O presidente ucraniano Volodymyr Zelensky afirmou nesta quinta que deseja falar com o mandatário russo, Vladimir Putin. 

"Preciso falar com Putin, pois esse é o único jeito de frear essa guerra. Sente-se comigo na mesa de negociações, estou livre. Só não a 30 metros de distância, como fez com [ o presidente francês, Emmanuel ] Macron e com [o chanceler alemão Olaf] Scholz, eu sou um vizinho!", disse Zelensky em entrevista coletiva.

O líder da Ucrânia ainda defendeu pressionou o Ocidente a redobrar a ajuda ao seu país e alertou que outros países da Europa estarão em risco caso a Rússia vença a guerra.

"Se desaparecermos, que Deus nos proteja, em seguida será Letônia, Lituânia, Estônia...até o Muro de Berlim, acreditem em mim", disse Zelensky.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.



    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários