Jair Bolsonaro e Boris Johnson, primeiro-ministro do Reino Unido
Alan Santos/ PR
Jair Bolsonaro e Boris Johnson, primeiro-ministro do Reino Unido

O presidente Jair Bolsonaro (PL) e o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, "concordaram com a exigência de um cessar-fogo urgente na Ucrânia". A informação foi divulgada pelo governo britânico nesta quinta-feira (3).


Durante a tarde, os dois líderes políticos tiveram uma conversa por telefone na qual abordaram o conflito no leste europeu


Na quinta-feira passada (24), a Rússia invadiu o território da Ucrânia por não aceitar o interesse do país em ingressar na Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), aliança militar do Ocidente. Desde então, os dois países estão em guerra, com o território ucraniano sendo bombardeado e o governo russo, alvo de sanções.


"O primeiro-ministro disse que as ações do regime russo na Ucrânia são repugnantes. E acrescentou que civis inocentes estão sendo mortos, e cidades, destruídas, e que o mundo não pode permitir que a agressão do presidente [Vladimir] Putin tenha sucesso", relatou o governo do Reino Unido, segundo a Folha de S. Paulo.

Leia Também


Com isso, Boris teria dito a Bolsonaro que o Brasil atuou como um "aliado vital na Segunda Guerra Mundial" e que, portanto, o posicionamento do país "foi novamente crucial nesse momento de crise".


Na Organização das Nações Unidas (ONU), o representante do Brasil apoiou a resolução que condenava a invasão russa , mas o presidente Jair Bolsonaro tem evitado tal posição. O mandatário chegou a  defender a "neutralidade" do Brasil no conflito diante da relação comercial do país com a Rússia.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários