Edifício de apartamentos em Chuhuiv no leste da Ucrânia pegando fogo após ataques
Reprodução/CNN
Edifício de apartamentos em Chuhuiv no leste da Ucrânia pegando fogo após ataques

Rússia prometeu retaliação caso Finlândia e Suécia negociem uma eventual entrada na Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

Segundo a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, a decisão "teria sérias consequências militares e políticas que obrigariam nosso país [Rússia] a dar uma resposta à altura", disse.

"Consideramos o compromisso do governo finlandês de manter uma política militar de não alinhamento como um fator importante para garantir a segurança e a estabilidade no Norte da Europa", completou.

Os dois países foram convidados pelo secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, para participarem de uma cúpula virtual sobre a situação da Ucrânia após a invasão russa. Recentemente, a primeira-ministra finlandesa, Sanna Marin, disse que o país estava pronto para se juntar a aliança.

Leia Também

Os nórdicos tem adotado a posição de neutralidade durante o conflito, e ambos estão na União Europeia, ao contrário da Ucrânia. O principal temor dos russos é o aumento da força dos países-membro da aliança nas suas fronteiras.

Pelo Twitter, Alexander Stupp, ex-primeiro-ministro da Finlândia, disse que o país está sendo "empurrado" pela Rússia para a Otan.

"A Rússia está empurrando a Finlândia para a Otan mais do que nunca. Nossa segurança tem sido parcialmente baseada na opção de aderir ou não. Nesse ritmo, não temos outra opção a não ser aderir. A adesão reforçaria a Aliança e ajudaria manter o Norte da Europa estável".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários