Brasileiro gravou vídeo em que mostra clima de tensão durante a madrugada na capital Kiev
Reprodução/Instagram
Brasileiro gravou vídeo em que mostra clima de tensão durante a madrugada na capital Kiev

Morador de Kiev, o brasileiro David Abu-Gharbil tem usado suas contas nas redes sociais para registrar os primeiros momentos da invasão russa ao país. Na noite desta quinta-feira, ele publicou um vídeo em que descreve o clima de tensão na madrugada da capital ucraniana. A gravação começa com o brasileiro escondido dentro de um banheiro de seu apartamento, único local em que pode ligar as luzes, devido ao medo de virar um  alvo para os russos.

"Não consigo dormir. Se eu pisco os olhos, qualquer barulhinho eu já acordo", conta o engenheiro eletricista.

De acordo com o relato do brasileiro, por conta de uma norma do governo, todas as luzes devem permanecer apagadas da meia-noite até as 4 horas da manhã. Em dado momento do vídeo, ele deixa o banheiro e vai até uma janela, mostrar a paisagem noturna. Salvo os postes de luz distantes que acompanham uma avenida, o cenário é de breu.

"Ali é uma avenida onde passaram tanques e, inclusive, muitos caminhões enormes, provavelmente com armamentos. O barulho foi alto, a gente não sabia nem o que era", diz David Abu-Gharbil.

"Kiev na escuridão! Cidade fantasma e tudo apagada, somente escutando e vendo tanques e caminhões enormes do exército", escreveu o engenheiro eletricista na postagem.

De acordo com David Abu-Gharbil, há poucas opções, que não sejam aguardar o desenvolvimento do conflito.

Leia Também

"Sair a gente não pode, devido a estar tudo fechado. A parte aérea, toda fechada. Terrestre, tudo engarrafado sentido Polônia. No outro sentido, é a Rússia", conta o brasileiro.

Em seguido, ele relata a expectativa de que ocorra conflito armado nas próximas horas.

"Vamos ficar em casa, no apartamento mesmo. Não há necessidade de ir a bunker hoje. Vai ser um conflito só com armas, sem bombas", diz.

Horas antes, ainda durante o dia, David Abu-Gharbil havia feito outro registro, dessa vez na entrada de um bunker:

"Estamos aqui esperando. Caso ocorra um ataque vamos todos para dentro", conta o homem, que disse ter sido alertado da possibilidade de ataques à cidade.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários