Vladimir Putin, presidente da Rússia
Reprodução/ Twitter, KremlinRussia
Vladimir Putin, presidente da Rússia

Na manhã desta quinta-feira (24), a Rússia emitiu um comunicado proibindo os cidadão russos de protestarem contra a guerra à Ucrânia. De acordo com a CNN, o alerta foi feito pelo Comitê de Investigação do país.

"Em conexão com a disseminação de pedidos de participação em tumultos e comícios relacionados à situação tensa da política externa", o comunicado do comitê alertou contra as "consequências legais negativas dessas ações, que incluem processos e até responsabilidade criminal".

"Deve ser lembrado que ter antecedentes criminais traz consequências negativas e deixa uma marca no futuro da pessoa", acrescentou o Comitê de Investigação.

Em seu discurso de anúncio do ataque, emitido durante a madrugada, o presidente russo Vladimir Putin prometeu agir contra aqueles que tentarem interferir na operação russa na Ucrânia, e pediu aos soldados do país vizinho que deponham as armas.

60 pessoas perderam suas vidas durante o ataque na Ucrânia

De acordo com um assessor presidencial e autoridades regionais, ao menos 64 pessoas, entre civis e militares, morreram após o avanço das tropas russas na Ucrânia.

Na madrugada de hoje, o presidente russo, Vladimir Putin, deu o aval para o que chamou de "operação militar especial" contra a Ucrânia. O governo ucraniano diz que a ação é uma "invasão total".

Segundo levantamento preliminar da Polícia Nacional e o Serviço de Guarda de Fronteiras da Ucrânia, as mortes confirmadas são:

Leia Também

  • Quatro civis mortos em Donetsk, na cidade de Vugledar, após bombardeios;
  • Um menino morto após explosão durante incêndio em prédio residencial em Chuguiv;
  • Um morto em Berdyansk após forças russas alvejarem uma unidade militar de defesa aérea;
  • Três guardas de fronteiras mortos em Skadovsk;
  • Um guarda de fronteira morto em Kherson após bombardeio;
  • Cinco militares morreram após queda de avião militar das Forças Armadas da Ucrânia em Obukhiv.

Autoridades de Odessa afirmaram que dezoito pessoas morreram após bombardeio contra uma base militar. "Oito homens e dez mulheres. No momento ainda estamos cavando entre os escombros", informou a administração regional em comunicado.

Ucrânia rompe relações com Rússia

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, anunciou hoje em um discurso à nação o rompimento das relações diplomáticas com Moscou.

"Rompemos os laços diplomáticos com a Rússia" , declarou, embora as relações tenham continuado mesmo depois que a Rússia anexou a Crimeia em 2014.

Zelensky também adotou lei marcial em todo o território ucraniano, pedindo para que os cidadãos mantenham a calma. A adoção da lei marcial consiste em uma medida que altera as regras de funcionamento de um país, deixando de lado as leis civis e colocando em vigor leis militares.

A ação russa na Ucrânia teve início na madrugada desta quinta-feira (24). Após o início das mobilizações russas, houve registro de explosões e ataques a unidades de fronteiras ucranianas, além de movimentações de tanques. As ofensivas da Rússia fizeram as sirenes de emergência dispararem na Ucrânia e o presidente Volodymyr Zelensky adotar lei marcial no país.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.

Drop here!

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários