Secretário-geral da Otan
Reprodução
Secretário-geral da Otan

Nesta terça-feira (22), o secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, disse que a Rússia não parou de planejar uma invasão à Ucrânia e pediu que o país dê "um passo para trás" na crise e opte pela diplomacia.

Stoltenberg disse que mais soldados foram enviados à região separatista da Ucrânia, Donbass. "Há possibilidade de ataque russo a qualquer momento", disse. "Eles não recuaram. Há batalhões prontos para atacar. É uma provocação que continua em Donbass, a fim de criar pretexto para uma invasão".

"Continuamos a pedir à Rússia que recue... Nunca é tarde demais para não atacar", acrescentou.

Leia Também

Durante a coletiva, o secretário-geral frisou que, caso a Rússia não freie as ações contra a Ucrânia, pode sofrer mais sanções internacionais. "Vamos garantir que a Ucrânia fortaleça as próprias defesas", adiantou.

Nações como o Reino Unido, Alemanha e Estados Unidos já anunciaram bloqueios econômicos contra a Rússia  após o presidente Vladimir Putin anunciar o envio de tropas para a Ucrânia e reconhecer a independência de Luhansk e Donetsk nessa segunda-feira (21) .

Apesar do aumento na tensão que cerca a possibilidade de invasão do território ucraniano, o secretário-geral disse a Otan está "pronta para sentar e conversar com os russos de peito aberto", ressaltando que a Ucrânia é um parceiro político.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários