Professor é afastado após dizer que atração sexual por criança nem sempre é imoral
Reprodução
Professor é afastado após dizer que atração sexual por criança nem sempre é imoral

Allyn Walker, um professor da Universidade de Old Dominion, no estado de Virginia, foi afastado após declarar que não considera imoral que adultos se sintam atraídos sexualmente por crianças. As informações são do portal The New York Post.

O docente de sociologia e justiça criminal participou de um fórum promovido pela Fundação Protasia - instituto de proteção a crianças - que discutia sobre a pedofilia.

A tese do professor é a de que o termo "pedófilo" seria estigmatizante e que, para as pessoas que sentem atração por crianças, o termo "pessoas com atração por menor" levaria a uma "busca por dignidade". Segundo Walker, "não há moralidade ou imoralidade ligada à atração por alguém, porque ninguém pode controlar por quem se sente atraído. Não é por quem nos sentimos atraídos, é o nosso comportamento em responder a essa atração que é aceitável ou não".

Em nota, a universidade afirmou que as reações causadas pelas declarações de Walker "levaram a preocupações com a segurança deles e do campus. Além disso, a controvérsia sobre a pesquisa do Dr. Walker perturbou o campus e o ambiente da comunidade e está interferindo na missão de ensino e aprendizagem da instituição".


Após ser afastado de suas atividades acadêmicas, o rapaz reconheceu que sua defesa pelo novo termo sugere que não há problema em um adulto se sentir atraído por uma criança, mas ressaltou que não enxerga correlação entre desejos sexuais e moralidade.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários