Imagens foram registradas em julho e agosto, antes e depois da explosão
Maxar e Rabz the Copter / Montagem do Juxtapose
Imagens foram registradas em julho e agosto, antes e depois da explosão

A investigação judicial libanesa sobre a devastadora explosão do porto de Beirute em agosto de 2020, na qual 220 pessoas morreram,  foi suspensa novamente, em meio a uma intensa pressão de políticos sobre o juiz no comando do caso, informou a imprensa local nesta quinta-feira (4).

Segundo a mídia do Líbano, a paralisação no inquérito ocorreu devido a outro apelo contra o juiz Tarek Bittar apresentado por um dos ex-ministros acusados.

Bittar tem sido alvo de forte pressão por parte da frente política liderada pelo Hezbollah, que o acusa de viés político.

Boa parte do grupo é acusada de ter pelo menos responsabilidade indireta na explosão de 2.750 toneladas de nitrato de amônio em 4 de agosto de 2020.

Leia Também

Até o momento, o juiz indiciou nove pessoas, entre representantes de instituições e dos serviços de segurança do país. A última convocação foi apresentada ao ex-ministro dos Transportes, Youssef Fenanios, do partido aliado ao Hezbollah.

Bittar assumiu o comando da investigação sobre a explosão do porto em fevereiro, após Fadi Sawan, seu antecessor, ser retirado após uma queixa legal similar que questionava sua imparcialidade.

Como aconteceu nas últimas semanas, as instituições judiciais libanesas agora devem avaliar o recurso de Fenanios e decidir sobre a retomada ou suspensão da investigação.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários