Angela Merkel política alemã e atual chanceler do país desde 2005
Reprodução
Angela Merkel política alemã e atual chanceler do país desde 2005

Angela Merkel, chanceler alemã desde 2005, declarou nesta segunda-feira, 16,  que todos erraram ao observar o avanço do Talibã no Afeganistão.  Ontem, o movimento fundamentalista islamita Talibã tomou a cidade de Cabul e reinstaurou o poder depois de 20 anos. Enquanto Cabul era invadida, o presidente do Afeganistão, Asraf Ghani, deixou o país.

"Foi uma avaliação errada. Não uma avaliação errada da Alemanha, mas todos nós erramos. Nós não atingimos o que nos propusemos", afirmou Merkel em entrevista coletiva.

Segundo a chanceler, o seu governo irá evacuar civis do Afeganistão o mais breve possível. "Em primeiro lugar, há as operações de evacuação. Precisamos retirar o máximo possível de pessoas de lá".

Assim que o  Talibã tomou posse de Cabul, os aliados da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), incluindo a Alemanha, retiraram os diplomatas e demais cidadãos de Cabul durante o domingo, 15.

O ministro das Relações Exteriores da Alemanha, Heiko Maas relatou que  as imagens das pessoas subindo na parte externa no avião tentando fugir de Cabul "são extremamente dolorosas". Além disso, ele afirmou que a Alemanha tentará "salvar o máximo de pessoas possível".

Ao ser questionado se a Alemanha irá revisar as políticas migratórias, o ministro disse que as regras serão expandidas para os cidadãos afegãos nesse momento. Ademais, Maas afirmou que funcionários de organizações não governamentais que lutam pelos direitos humanos serão levados em voos oficiais para a Alemanha. 


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários