Cartunista Danisch Kurt Westergaard
Henning Schacht-Pool/Getty Images
Cartunista Danisch Kurt Westergaard

O ilustrador Kurt Westergaard, autor da caricatura do profeta Maomé que gerou ataques terroristas ao jornal satírico Charlie Hebdo , em janeiro de 2015, morreu aos 86 anos na Dinamarca, informou a família nesse domingo (18). Após a publicação da ilustração, na qual o profeta aparecia com um turbante em forma de bomba, dois homens invadiram a redação do jornal em Paris e assassinaram 12 pessoas, entre jornalistas, cartunistas e funcionários do prédio.

Além do ocorrido no Charlie Hebdo , a ilustração motivou  uma série de ataques que horrorizou a nação por três dias e deixou 17 pessoas mortas .

Representações do profeta do Islã são consideradas proibidas para a maioria dos muçulmanos. No início da série The Face of Mahomet (O rosto de Maomé), as publicações passaram despercebidas, mas, 15 dias depois, um primeiro protesto ocorreu em Copenhague. Embaixadores de países muçulmanos na Dinamarca, então, condenaram as charges.

Meses depois, em fevereiro de 2006, uma onda de violência contra a Dinamarca eclodiu no mundo muçulmano. No mesmo ano, o Charlie Hebdo reproduziu as ilustrações originais em apoio aos dinamarqueses. E, anos mais tarde, os ataques atingiram o ápice com o massacre na redação do jornal, em Paris.

Vivia sob proteção policial

Assim como outras pessoas associadas às caricaturas de Maomé, Kurt Westergaard precisou viver sob guarda policial durante os últimos anos de sua vida, em endereços mantidos em sigilo. Em 2010, um homem da nacionalidade somáli foi preso por planejar matar Westergaard.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários