Líder de Mianmar não é vista em público desde o dia do golpe de estado
Reprodução
Líder de Mianmar não é vista em público desde o dia do golpe de estado

A líder civil de Mianmar , Aung San Suu Kyi, foi alvo de duas novas acusações durante uma audiência realizada nesta segunda-feira (1°) na capital, Naypyidaw. A ex-dirigente participou da reunião por videoconferência. O advogado de Suu Kyi disse à Reuters que ela foi acusada de publicar informações que poderiam causar medo ou alarde e perturbar a tranquilidade.

As acusações estão previstas no código penal da época em que o país era colônia. Mianmar se tornou independente em 1948. Além dessas acusações, a líder está sendo processada por importação ilegal de rádio de comunicação e por violar a Lei de Gestão de Desastres Naturais , ao não respeitar os protocolos de saúde contra a covid-19.

A vencedora do Prêmio Nobel da Paz não é vista em público desde 1º de fevereiro, quando militares tomaram o poder e prenderam lideranças políticas do país. A próxima audiência da líder acontece no dia 15 de março.  Neste domingo (28), pelo menos 18 pessoas morreram em três cidades, vítimas da violência policial, em protestos contra o golpe militar. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários