Texto das ONGs apresenta fortes críticas à atuação do país nos fóruns internacionais.
O Globo/Reprodução
Texto das ONGs apresenta fortes críticas à atuação do país nos fóruns internacionais.

Os Estados Unidos anunciaram, nesta segunda-feira (8), que irão reintegrar o Conselho de Direitos Humanos da ONU, marcando a ruptura com a administração de Donald Trump, que saiu do acordo em 2018, fazendo muitas críticas ao Conselho.

"O presidente (Biden) instruiu o Departamento de Estado a se envolver imediata e vigorosamente" no Conselho de Direitos Humanos da ONU, declarou em comunicado o chefe da diplomacia, Anthony Blinken.

“Sabemos que o Conselho de Direitos Humanos é um órgão cheio de falhas, que precisa reformar seu programa, seus membros e suas prioridades, incluindo a atenção desproporcional que dá a Israel”, completou Blinken.

Você viu?

O Conselho de Direitos Humanos da ONU é "encarregado de fortalecer a promoção e proteção dos direitos humanos no mundo" e também tem a missão de lidar com situações de violação dos direitos.

O Conselho é composto por 47 Estados-membros, alguns dos quais são regularmente denunciados por suas violações dos direitos humanos, que são eleitos pela Assembleia Geral das Nações Unidas.

Em junho de 2018, a gestão de Donald Trump deixou o Conselho fazendo duras críticas à atuação dos membros. 

"Estamos dando esse passo porque nosso compromisso não nos permite continuar fazendo parte de uma organização hipócrita e servindo aos seus próprios interesses, o que torna os direitos humanos objeto de zombaria", acusou Nikki Haley, então embaixadora na ONU em Nova York.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários