Presidente da Argentina assina decreto sobre legalização do aborto após liberação do Senado
Foto: Claudio Reyes/AFP
Presidente da Argentina assina decreto sobre legalização do aborto após liberação do Senado

Alberto Fernández, presidente da Argentina , decretou na quinta-feira (14), a lei que autoriza o aborto legal até 14° semana de gestação no país, aprovada no dia 30 de dezembro de 2020 . As informações foram apuradas pelo G1.

O presidente comemorou dizendo "hoje temos uma sociedade melhor e mais igualitária", ao assinar o documento que põe em prática a norma que ele mesmo mandou para o legislativo na cerimônia no Museu do Bicentenário de Buenos Aires .

A Argentina entra na lista de países sul-americanos a ter o aborto como prática legal. Nesta lista, estão países como Cuba, Guiana e Uruguai. No México, é liberado no estado de Oaxaca e na Cidade do México. O Chile iniciou no Congresso, na quarta-feira (13), um debate sobre adotar uma lei parecida com a criada pelos argentinos.

"Este é um grande passo em direção à igualdade de direitos, dando às mulheres a possibilidade de decidir, e é o ponto culminante de um tempo de luta para muitas que durante anos lutaram para impedir o aborto de ser um crime que força a clandestinidade e exposição aos riscos envolvidos", declarou o presidente argentino.

A mobilização do grupo ' Maré Verde ', cor conhecida por representar a campanha da legalização do aborto, foi muito importante para que o projeto conseguisse a aprovação do Senado, já que em 2018, um plano similar tinha sido negado.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários