Itália passa por uma segunda onde de casos de Covid-19
Pixabay
Itália passa por uma segunda onde de casos de Covid-19

A Federação Nacional das Ordens dos Médicos da Itália (Fnomceo) solicitou que o  país declare um novo lockdown para dimunuir os indíces de infecção pelo novo coronavírus (Sars-Cov-2). 

O pedido foi feito por meio das redes sociais da organização no último domingo (8). O presidente da federação Filippo Anelli disse em entrevista que com base nos números de casos do país nas últimas semanas, ainda que não haja aumento, em um mês, a situação será "dramática e, portanto, devemos recorrer imediatamento ao fechamento total".

Na última quarta (4), o primeiro-ministro do país, Giuseppe Conte , já havia anunciado que quatro regiões da Itália entrariam em um confinamento mais restrito. Sendo elas, Calábria, Piemonte, Vale de Aosta e Lombardia.

Neste domingo (8),a Itália registrou 32.614 novos casos de Covid-19, além de 331 óbitos.

Ao todo, o país registrou desde o início da pandemia, em março, quase 1 milhão de casos da doença, e 41 mil italianos perderam a vida.

Apesar do número de mortes estar bem abaixo do registrado na primeira onda, em Abril, os novos casos são ainda maiores, e já sobrecarregam as UTIs.

Atualmente, 2.749 pessoas estão internadas em decorrência da Covid. O número é o maior desde o dia 17 de abril.

"As UTIs já estão sob pressão. Considerando isso, a proposta de um lockdown nacional é racional", afirmou o presidente da associação nacional de anestesistas de UTIs, Alessandro Vergallo.



    Veja Também

      Mostrar mais