.
Ahmad Gharabli/Divulgação
Ativistas israelenses protestam pela libertação de Maher al-Akhras, que está em greve de fome há 100 dias


Um prisioneiro palestino , detido por Israel, concordou em encerrar mais de 100 dias de greve de fome . Segundo a família, ele havia recebido garantias das autoridades israelenses de que sua detenção por tempo indeterminado não seria estendida para além do fim de novembro.


Maher al-Akhras, 49, se recusa a comer desde que foi preso em julho e preso sob prisão administrativa, uma política que Israel usa para manter palestinos sem acusações sob suspeita de crimes não revelados. Essas ordens de detenção renováveis ​​estão sob fortes críticas de palestinos e grupos de direitos humanos, que alegam que a política viola o direito ao devido processo.

Qadoura Fares, chefe do grupo de defesa Clube dos Prisioneiros Palestinos, disse na sexta-feira que, segundo o acordo, Israel não prorrogará a atual ordem de detenção administrativa para al-Akhras quando ela expirar em 26 de novembro .

"Ele encerrou sua greve e agora está passando por um check-up médico para começar a comer", disse a esposa de Al-Akhras. "Ele pesava 104 kg antes e agora está com 61 kg ", acrescentou ela.

A agência de segurança Shin Bet de Israel disse que a ordem de detenção de al-Akhras já estava programada para terminar em 26 de novembro. Um oficial de segurança, falando sob condição de anonimato, disse que al-Akhras rejeitou uma proposta semelhante do tribunal no mês passado para libertá-lo naquela data, desde que nenhuma nova evidência fosse apresentada contra ele.

A Shin Bet disse que al-Akhras foi preso com base na informação de que ele é ativo no grupo militante Jihad Islâmica e estava envolvido em "atividades que colocam em risco a segurança pública". Segundo a agência, ele já foi preso cinco vezes por envolvimento em atividades militantes. A família nega tal envolvimento.

A Jihad Islâmica, que matou muitos israelenses em ataques suicidas e outros ao longo dos anos, ameaçou responder a Israel se a condição de al-Akhras piorar ainda mais. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários