Breonna Taylor
Reprodução/Facebook
A enfermeira Breonna Taylor, de 26 anos, foi morta durante abordagem policial.

O ex-policial Brett Hankison, que foi indiciado pelo envolvimento na morte de Breonna Taylor durante uma ação da polícia em Louisville em março deste ano, disse ser inocente. A justiça atribuiu três acusações a ele na semana passada.

O ex-oficial foi acusado de colocar a vida dos vizinhos de Taylor em risco, uma vez que seus tiros atingiram o apartamento ao lado. Os outrs dois policiais não foram acusados, uma vez que um júri considerou que eles agiram em legítima defesa.

Depois do caso, Hankison foi demitido da corporação em junho. Ele prestou depoimento por telefone em uma audiência realizada na última segunda-feira (28) e está livre. O advogado do ex-policial solicitou que ele possa ficar com as armas que possui “para se defender”. O pedido foi negado por um juiz.

As decisões acerca do caso geraram protestos, uma vez que a população entendeu que o tratamento dado aos agentes foi leve. A próxima audiência do caso está marcada para o dia 28 de outubro. Caso condenado, Hankison pode pegar até 15 anos de prisão.

Taylor morreu depois que os policiais entraram em sua casa com um mandado de busca e apreensão, que dá permissão de entrada sem aviso. O namorado da vítima abriu fogo contra os agentes, que revidaram, acertando diversos tiros em Breonna.

    Veja Também

      Mostrar mais