homem encapuzado
Rochester Police Department / Reprodução
Vídeo foi registrado em março e divulgado nesta quarta

Em mais um vídeo chocante de uma abordagem policial contra pessoas negras nos Estados Unidos , um homem negro morre após agentes colocarem um capuz na cabeça dele em uma ação na cidade de Rochester, no estado de Nova York.

A vítima trata-se de Daniel Prude, 30 anos, e segundo a família informou nesta quarta-feira (02), data que as imagens foram tornadas públicas, a abordagem ocorreu no dia 23 de março. O irmão do homem, Joe Prude, disse que chamou os policiais porque Daniel estava desorientado e precisava de ajuda. "Eu só pedi ajuda. Eu não pedi para ele ser linchado", acrescentou.

No vídeo divulgado, Prude aparece já algemado, sentado no chão, e obedecendo as ordens. O estado mental estava visivelmente alterado, já que o homem estava nu em um dia extremamente frio - é possível ver uma leve neve caindo no momento da ação.

Então, um dos policiais cobre a cabeça do rapaz com um capuz, em um tipo de abordagem que tem sido comum para evitar que a saliva do detido atinja os policiais - por conta da pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2). A partir daí, Prude começa a pedir que tirem o capuz, mas os policiais o mantém de rosto para o chão por cerca de dois minutos e um dos agentes põe o joelho nas costas do homem.

Quando o homem começa a gritar e a se debater, os agentes ficam preocupados e percebem que está saindo água da boca do homem.

Nesse momento, os policiais tiram as algemas e o capuz e permitem que um médico avalie Prude. Pouco depois, socorristas tentam reanimá-lo e o colocam em uma ambulância.

De acordo com a família, o homem morreu no hospital sete dias depois da abordagem. O médico legal informou que o óbito foi causado por "complicações causadas por asfixia" e que a intoxicação por fenciclidina foi um dos fatores que contribuíram também para a morte.

O estado de Nova York informou que os agentes que participaram da ação estão sendo investigados.

O caso é mais um a causar polêmica sobre a forma como a polícia norte-americana aborda pessoas negras. A notícia surge pouco mais de duas semanas após um outro homem negro, Jacob Blake, ser atingido por sete tiros à queima-roupa enquanto tentava entrar em seu carro após apartar uma briga entre duas mulheres na calçada.

Desde 25 de maio, dia em que a morte de outro homem negro, George Floyd, tornou-se pública, o país enfrenta protestos e manifestações diárias por todos os estados pedindo por justiça e equidade racial.


    Veja Também

      Mostrar mais