Bandeira da Itália
Pixabay
Bandeira da Itália


Enquanto o governo da Itália comemora a aprovação de um histórico fundo de recuperação pela União Europeia, o país ganhou nesta semana um novo partido cujo objetivo é tirá-lo do bloco, seguindo os passos do Reino Unido.


A legenda se chama "Italexit" e foi fundada pelo senador Gianluigi Paragone, dissidente do antissistema Movimento 5 Estrelas (M5S), principal força de sustentação ao primeiro-ministro Giuseppe Conte.

O manifesto do partido diz que sua meta é " liberar " a Itália das "prisões da União Europeia e da moeda única". "Os italianos merecem uma Itália forte, livre e independente, que recupere a própria soberania e seja novamente capaz de se autodeterminar", diz o texto, que também critica o "neoliberalismo" e a " globalização desenfreada ".

Você viu?

Jornalista de carreira, Paragone foi eleito senador pelo M5S em março de 2018, mas acabou expulso pelo partido em 1º de janeiro de 2020, após ele ter votado contra o projeto de Lei Orçamentária do governo para este ano.

Paragone foi um dos maiores defensores da aliança entre o movimento antissistema e a Liga, partido de extrema direita liderado por Matteo Salvini. A coalizão governou a Itália entre junho de 2018 e setembro de 2019, mas foi rompida pela Liga em uma tentativa de forçar eleições antecipadas e capitalizar a popularidade de seu líder.

Para evitar uma ida às urnas, o M5S se juntou a seu inimigo histórico, o Partido Democrático (PD), de centro-esquerda, dando um segundo governo a Giuseppe Conte. Paragone apresentou seu novo movimento político dois dias após uma reunião com o líder do partido Brexit , Nigel Farage, líder da campanha para tirar o Reino Unido da UE.

O "Italexit" surge na mesma semana em que o governo italiano comemora a aprovação de um fundo de 750 bilhões de euros pela União Europeia, do qual o país será o maior beneficiário, com quase 209 bilhões de euros.

O instrumento será financiado pela emissão de dívida pela UE e prevê o recolhimento de impostos em âmbito europeu, dois fatos inéditos na história do bloco e que podem fazer avançar o processo de integração.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários