Após quarentena rígida em toda a Índia, medidas foram flexibilizadas, mas novos focos fazem cidades e regiões restringirem atividades novamente
Reprodução/Redes Socias
Após quarentena rígida em toda a Índia, medidas foram flexibilizadas, mas novos focos fazem cidades e regiões restringirem atividades novamente

Após novos focos do novo coronavírus (Sars-Cov-2) na populosa cidade de Bangalore, no sul da Índia , e no estado de Bihar (norte), mais de 130 milhões de indianos voltarão ao confinamento para conter a propagação do vírus, segundo anunciaram as autoridades nesta terça-feira (14)

"O governo de Bihar decidiu um confinamento de 15 dias, de 16 de julho até 31 de julho", tuitou o vice-ministro cchefe do estado, Sushil Kumar Modi.

No final de março, a Índia determinou uma quarentena rígida e em escala nacional. No final de junho, as medidas foram suspensas. Porém, com os novos crescimentos nos números de casos e óbitos, novos confinamentos cidades e regiões se multiplicam ao longo do país.

Mumbai e Nova Délhi eram até agora as maiores cidades afetadas pela pandemia, mas Bangalore , sul do país, sede das empresas de alta tecnologia indianas, surge também como um novo foco, com 19.702 casos confirmados até segunda-feira.

O governo local determinou o confinamento na cidade e distritos próximos a partir das 20h locais (11h30 de Brasília). A medida deve prosseguir até 23 de julho.

O segundo país de maior população do planeta registra até o momento quase 24 mil mortes e mais de 900 mil casos declarados de Covid-19, dados que registram uma forte aceleração. Os especialistas afirmam que o pico da epidemia ainda não aconteceu na Índia.  

    Veja Também

      Mostrar mais