Javier Ambler
Divulgação
Javier Ambler morreu em condições similares as de George Floyd no Texas, nos Estados Unidos

Enquanto manifestantes no mundo todo protestam pela morte de George Floyd, um vídeo de uma outra abordagem policial a um homem negro, desta vez em Austin, no estado do Texas, mostra semelhanças com o caso de Floyd. Nas imagens, reveladas pela emissora americana CNN e que estão sendo investigadas, Javier Ambler, de 40 anos, também diz "Não consigo respirar" diversas vezes antes de falecer.

Leia também:

Na madrugada de 28 de março de 2019, Ambler foi detido após uma perseguição de mais de 20 minutos, segundo um relatório do departamento policial da região obtido pela emissora. Ele teria tentado fugir após passar por um policial sem apagar os faróis do carro, de acordo com o documento.

Segundo a CNN, a gravação começa após os policiais passarem pelo veículo de Ambler, quando começam a ir em direção ao carro do homem. De acordo com as descrições do momento, registradas nos documentos obtidos pela reportagem, ele saiu de mãos para cima, estava desarmado e não havia usado drogas. O relatório da polícia narra que Ambler resistiu a prisão e se recusava a seguir as ordens dos agentes. No chão, quando é algemado , ele diz "Eu tenho insufiência cardíaca".

Por diversas vezes, o homem afirma "Não consigo respirar". Alguns minutos após o início da ação os agentes notam que Ambler não está tendo mais nenhuma reação. Os oficiais, então, tiram as algemas e tentam reanimar Ambler até a chegada dos médicos.

Segundo um relatório do procurador-geral do Texas , a morte de Ambler foi considerada como homicídio . Ele teria falecido por uma soma de fatores: insuficiência cardiáca e uma doença hipertensiva associada à obesidade combinadas com uma "restrição forçada".

O departamento do xerife do condado de Williamsom, onde fica Austin, considerou que os oficiais agiram de acordo com as diretrizes estabelecidas pelo departamento policial de Washington. A promotora do condado de Travis investiga o caso, mas, por enquanto, nenhum dos policiais está sendo investigado.

"Determinamos que é necessário levar o caso a um grande júri ", disse a promotora Margaret Moore, acrescentando que funcionários do Gabinete do Xerife do Condado de Williamson não estão cooperando com as investigações. "Este caso é tão incomum. Não é normal encontrarmos obstáculos para obter provas, especialmente de outra unidade policial".

    Veja Também

      Mostrar mais