floyd
Reprodução
George Floyd foi asfixiado por policial durante uma abordagem


Duas autópsias, divulgadas nesta segunda-feira (1º), concordam: a morte de George Floyd foi um homicídio .

Mas os laudos, uma de uma agência governamental e outra de médicos que trabalhavam com a família Floyd, diferiam quanto às causas específicas de morte e se havia fatores contribuintes além do policial de Minneapolis ter ajoelhado em seu pescoço.

Saiba mais: Trump ameaça mobilizar militares se estados não pararem protestos

O Instituto Médico Legal do condado de Hennepin disse que Floyd morreu de "parada cardiopulmonar complicando a aplicação da lei, restrições, contenção e compressão do pescoço". O médico legista também citou condições significativas de contribuição , dizendo que Floyd sofria de uma doença cardíaca e estava com muito fentanil e havia usado metanfetamina momentos antes de sua morte.

As conclusões do legista diferiram dos resultados de uma autópsia particular encomendada pela família de Floyd, que foi divulgada poucas horas antes. O laudo apontou que Floyd morreu não apenas por causa da pressão causada pelo joelho do policial de Minneapolis no seu pescoço, mas também por causa dos outros policiais que ajudaram a segurá-lo.

Allecia M. Wilson, da Universidade de Michigan, e Michael Baden, ex-médico legista de Nova York, foram contratados pela família de Floyd para ajudar a determinar sua causa de morte. Baden disse que a autópsia "mostra que Floyd não tinha nenhum problema médico subjacente que causou ou contribuiu para a sua morte".

Derek Chauvin, o ex-policial que foi visto em um vídeo ajoelhado no pescoço de Floyd - mesmo depois que Floyd perdeu a consciência - foi acusado de assassinato em terceiro grau. Antonio Romanucci, advogado da família, disse que o peso de dois outros policiais nas costas de Floyd impediu que o sangue atingisse seu cérebro e o ar atingisse seus pulmões.

Medaria Arradondo, chefe do Departamento de Polícia de Minneapolis, disse, em entrevista à CNN, que três ex-policiais que estavam presentes quando Chauvin se ajoelhou no pescoço de Floyd - e que não intervieram - foram cúmplices de sua morte.

    Veja Também

      Mostrar mais