China
Divulgação / Governo Chinês
Segundo denúncia, organização estaria insatisfeita com a postura do governo chinês no início da pandemia

A China negou nesta quarta-feira (3) que tenha demorado a passar informações relevantes no início da pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2) para a Organização Mundial da Saúde (OMS) , conforme uma matéria da agência de notícias Associated Press revelou.

Leia também: Brasil ainda não enfrentou o pior da pandemia, afirma OMS

"Não sei de onde vem esses 'documentos internos', mas as histórias publicadas são completamente inconsistentes em relação aos fatos", disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China , Zhao Lijian, aos jornalistas em sua coletiva diária.

Segundo a matéria da AP, especialistas da OMS se queixaram em documentos internos de que Pequim estava demorando para repassar as informações sobre a nova doença Covid-19 ainda em janeiro deste ano. Entre os dados que não foram passados rapidamente, estava o genoma do novo vírus, o que provocou um atraso na busca por uma cura ou por vacinas para combater a doença.

Leia também: Reabertura é "ida ao abatedouro" e pode gerar explosão de casos, diz cientista

Ainda conforme a matéria, a demora se deu por conta do rigoroso controle de informações do governo e os dados só foram repassados após três laboratórios fazerem o mapa genético do Sars-CoV-2 . Em público, no entanto, a OMS sempre elogiou a colaboração chinesa e a "resposta rápida" à crise sanitária.

    Veja Também

      Mostrar mais