Covid-19
Reprodução
Suécia não adotou lockdown e manteve isolamento vertical para enfrentar pandemia

De acordo com o epidemiologista-chefe na Suécia, Anders Tagnell , cada país deve adotar a estratégia de saúde que melhor respeita as circunstâncias locais para enfrentar a pandemia de Covid-19. A explicação - que leva em consideração a forma como o presidente Jair Bolsonaro utiliza a Suécia como exemplo para as ações no Brasil - foi compartilhada em entrevista à rede BBC News.

Tagnell afirmou ainda que não adotaria a mesma estratégia caso estivesse no comando do Ministério da Saúde no Brasil. "É preciso sempre adotar uma estratégia que leve em consideração as circunstâncias locais, como, por exemplo, em termos de população e saúde pública", disse à BBBC. Com cerca de 10 milhões de habitantes, o país escandinavo escolheu um isolamento vertical e menos rígido para enfrentar a nova doença. 

Leia mais: Trump mandará 2 milhões de comprimidos de hidroxicloroquina, diz Bolsonaro

O profissional de saúde acrescentou ainda que "é sempre perigoso adotar a estratégia de qualquer outro país e implementá-la no seu, sem refletir como ela funciona".

Bolsonaro usa Suécia como exemplo para criticar isolamento social

O presidente Jair Bolsonaro afirmou na quarta-feira (14), durante reunião com empresários da indústria, que por ele o Brasil adotaria o isolamento vertical. Ele citou a Suécia como exemplo, mas não mencionou que o país escandinavo tem mais mortes por Covid-19 que os vizinhos, que adotaram o isolamento mais rígido. 

"O governo federal, se depender de nós, está tudo aberto com isolamento vertical e ponto final. Os governadores assumiram cada um a sua responsabilidade, houve uma concorrência entre muitos para ver o que fechava mais", disse Bolsonaro.

"Quem defendia mais a vida do teu eleitor, do cidadão do teu estado em relação aos outros. O governo federal nunca foi óbice. Se depender de mim, quase nada teria sido fechado, a exemplo da Suécia", acrescentou.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários