máscara de hospital
Pixabay
OMS faz alerta para países que querem atestar "imunidade" à Covid-19


Na noite de ontem, 24, a Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou levantamento que informa que ainda não existem provas de que organismo de recuperados da Covid-19 tenha criado anticorpos capazes de resistir a uma segunda infecção.

Leia também: Brasil não participará de reunião da OMS sobre acesso a tratamentos

A OMS também rebateu o que alguns países têm chamado de “certificado sem risco” ou “passaporte de imunidade”, que seria um documento entregue a pessoas que se recuperaram da doença causada pelo novo coronavírus .

Leia também: Segundo OMS, relaxar isolamento físico não sinaliza fim da Covid-19

Leia também: Europa vive "tragédia humana inimaginável" devido à Covid-19, diz OMS

Desta forma, pessoas que possuírem o certificado podem retomar à rotina normal, já que são “imunes”. "O uso de tais certificados pode, portanto, aumentar os riscos de transmissão continuada", alertou a organização.

Para construir o relatório, o órgão se baseou em 20 estudos científicos que apontam para riscos de uma segunda onda da pandemia . Um dos estudos é da universidade norte-americana John Hopkins, uma das principais a monitorar o status do vírus no mundo. Segundo os estudos, 2,8 milhões estão infectados e o total de óbitos é de aproximadamente 200 mil.

    Veja Também

      Mostrar mais