Corona
Reprodução
Novos dados mostram que EUA já são responsáveis por mais de um quarto dos mortos e casos confirmados

Epicentro da pandemia do Covid-19, os EUA atingiram uma nova marca negativa nesta sexta-feira (24). Com a atualização dos dados sobre a doença, o país é o primeiro a ultrapassar a marca de 50 mil mortes confirmadas.

Leia também: Taxa de isolamento social no estado de São Paulo cai para 48%

Segundo informações do site worldometers, que agrupa informações de todos os países sobre o novo coronavírus (Sars-Cov-2), os EUA somam agora 50,243 óbitos, além de mais de 886 mil casos confirmados e quase 15 mil pessoas em estado grave.

Tais números mantém o país na primeira posição dos mais atingidos pela doença e representam mais de um quarto dos dados registrados em todo o planeta. Até o momento, são mais de 2,7 milhões de casos confirmados e um total de 191 mil mortes.

Leia também: Covid-19 faz idosos morrerem 13 anos mais cedo, diz pesquisa

Na sequência, aparecem a Itália, com mais de 25 mil mortes e quase 190 mil casos confirmados, Espanha, com 22,5 óbitos e 219 mil infecções, e a França, terceiro país a já ultrapassar a marca de 20 mil mortos.

Quarentena até junho

Em coletiva nesta quinta-feira (23),  Trump afirmou que saber a hora de sair é questão de “senso comum” sobre o momento em que se decidir que as medidas de isolamento não são mais necessárias.

“Acho que as pessoas vão saber, eu vou saber, você vai saber. [...] Mas até sentirmos que não é seguro, vamos continuar estendendo [a quarentena]. Vamos acompanhar os casos com muito cuidado", disse o presidente norte-americano, ressaltando que tal decisão pode seguir até o mês de junho.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários