Montagem de fotos de Benjamin Netanyahu, a esquerda, e Benny Gantz, a direita
Reprodução/Facebook Benjamin Netanyahu e Benny Gantz
Netanyahu e Gantz vêm disputando pelo poder em Israel há mais de um ano

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu , e seu rival, Benny Gantz, anunciaram nesta segunda-feira (20) um acordo para a formação de um governo de emergência no país. O anúncio feito em conjunto coloca fim a um período de crise política que durou mais de um ano e foi marcado por três eleições.

Leia também: Impasse impede aprovação de plano do G-20 contra o coronavírus

A decisão foi tomada por causa da pandemia do novo coronavírus  (Sars-Cov-2). As regras do acordo não foram reveladas, mas acredita-se que o tratado prevê uma rotação no cargo de primeiro-ministro. Com isso, Netanyahu ocuparia a função durante 18 meses e logo depois Gantz assumiria o poder. "Prometi a Israel um governo nacional de emergência que trabalha para salvar as vidas e empregos dos cidadãos de Israel.

Continuarei a fazer todo o possível por vocês", afirmou Netanyahu, após a assinatura do documento. Neste primeiro ano e meio de governo, Gantz atuará como vice-primeiro-ministro. Da mesma forma, no período de governo de Gantz, Netanyahu será o vice.

Leia também: Chile fará transição gradual à normalidade, diz presidente

Manifestação

No domingo (19), centenas de manifestantes foram às ruas de Israel para protestar contra Netanyahu, alvo de três acusações de corrupção. O ato, no entanto, chamou a atenção porque, com as medidas protetivas contra o novo coronavírus, os manifestantes utilizaram máscaras e mantiveram o distanciamento uns dos outros. Na manifestação, as pessoas pediam que Gantz desistisse de se aliar a Netanyahu .

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários