O presidente do Chile,  Sebástian Piñera, anunciou que o país iniciou a transição para retomar a 'nova normalidade'. Em pronunciamento transmitido em rede nacional, o chefe de estado falou sobre os problemas econômicos do país e mostrou gráficos sobre a situação do Chile.

Sebástian Piñera, presidente do Chile arrow-options
G20 Argentina
Sebástian Piñera, presidente do Chile

Piñera mostrou que o número diário de novos casos e de pessoas recuperadas está quase igual, além de constante. O Chile contabiliza 133 mortes por Covid-19, mais de 10 mil infectados; destes, 4.300 estão recuperados.

Leia também: Covid-19: vírus pode permanecer no ar por até 16 horas, sugere nova pesquisa

Com os números controlados, segundo o entendimento do governo, os funcionários públicos estão aptos para voltar ao trabalho de forma gradual, exceto aqueles que fazem parte dos grupos de risco ou cujo trabalho pode ser feito remotamente de forma efetiva.

“A reincorporação dos que estão a distância será feita cumprindo estritamente com todos os protocolos de segurança estabelecidos pelas autoridades sanitárias, como distanciamento social, uso de máscaras obrigatórias, (...) tudo que seja necessário para proteger a saúde e a vida dos funcionários públicos”, declarou.

Veja mais: Multas, testes em massa e apoio: o que permite Alemanha a iniciar reabertura

Durante o pronunciamento, Piñera reforçou diversas vezes que o páis enfrenta graves problemas econômicos causados pelo fechamento do comércio. Segundo ele, o Chile começou a se preparar para a chegada do novo coronavírus (Sars-Cov-2) desde o início de janeiro, logoa após o anúncio do primeiro caso na China.

Outro gráfico apresentado pelo presidente apontou que há 570 respiradores disponíveis , 312 ocupados por pacientes infectados com Covid-19 e 745 usados por pessoas com outras doenças.

    Veja Também

      Mostrar mais