Covid-19
Reprodução
Após vencer a doença, pacientes temem os efeitos de longa duração do novo coronavírus

Enquanto a pandemia do Covid-19 segue colocando os países em alerta, a medicina batalha para descobrir mais informações sobre o vírus, os possíveis sintomas da doença e os efeitos que ela causa no corpo. Por este motivo, até quem já venceu a batalha contra o novo coronavírus (Sars-Cov-2) permanece alerta e teme possíveis problemas a longo prazo.

Leia também: Covid-19: 85% dos brasileiros creem que pandemia acaba até junho, diz pesquisa

O ator Danny Burstein, indicado seis vezes ao Tony Awards, o mais prestigioso prêmio de teatro dos EUA , é um destes sobreviventes. Em entrevista ao jornal New York Post, ele afirmou que é difícil saber como será sua vida após o fim da pandemia e se a doença poderá afetar seu trabalho.

"Algumas vezes, fico sem ar apenas por conversar com alguém. Essa é a parte mais complicada e frustrante de tudo isso. É uma recuperação muito lenta. A maioria dos sintomas já foram embora, mas o dano que causaram aos meus pulmões permanecem", afirmou.

O caso de Burstein, que passou os últimos 40 anos atuando nos palcos norte-americanos e desenvolveu pulmões fortes para cantar e representar nas peças da Broadway, representa o que tem acontecido como muitos pacientes do Covid-19 . Após superar a doença, até mesmo uma simples descida de escada pode se tornar um desafio.

"Enfrentei uma longa recuperação . Para a minha idade, não imaginei que a doença ser tão devastadora. Com certeza não é nada comparada a uma simples gripe. Sinto como se meu pulmão estivesse pegando fogo", disse Shaun Khubchandani, de 30 anos.

Ele lembrou também que teve alguns "alarmes falsos", quando pensou ter se livrado da doença , mas acabava voltando a ter os sintomas mais fortes: "me sentia bem, como se estivesse recuperado, e no dia seguinte a febre alta e as dores voltavam".

Leia também: No Brasil, ritmo de mortes por Covid-19 segue trilha dos países mais atingidos

O diágnóstico de cura veio há quatro semanas, e ainda assim os efeitos colaterais permanecem, o que o faz pensar se os pulmões tiveram algum dano permanente: "hoje, não consigo mais respirar fundo sem sentir algum tipo de dor, e foi exatamente isso que me deixou preocupado".

"Não há dados suficientes"

E é exatamente nisto que a medicina está se debruçando: entender os possíveis efeitos a longo prazo da doença, para que a recuperação de pacientes não seja apenas ilusória e se torne um problema futuro.

"Uma das maiores questão no momento é se esses pacientes vão se recuperar 100% do novo coronavírus ou se haverá um dano crônico aos pulmões. É triste pensar no número de pessoas que poderão ter graves problemas respiratórios porque não temos uma quantidade suficiente de médicos para um cenário assim", apontou Mina Rafik Makaryus, pneumologista no Hospital Northwell Health.

Além dos problemas pulmonares, estudo apontam que o Covid-19 pode causar efeitos no metabolismo e no coração, além de outras "mudanças psicológicas". Infelizmente, como lembrou Makaryus, ainda não há dados suficientes para comprovar ou desmentir qualquer análise.

Leia também: "Vai chegar o dia que dirão que eu tinha razão sobre a Covid-19", diz Bolsonaro

"Outro medo são as possíveis implicações psiquiátricas. Essa é uma doença solitária, que obriga o isolamento e faz com que pacientes e familiares tenham que enfrentá-la sozinhos", finalizou a médica.

    Veja Também

      Mostrar mais