Um dos últimos países a ser acometido pela pandemia de Covid-19 , a Turquia rejeitou, até o momento, implementar modelo rigoroso de isolamento social. Priorizando a economia, o país mantém as atividades econômicas em normalidade e observam número de casos baterem marca de 5 mil por dia .

O presidente turco Recep Erdogan já chegou a afirmar em mais de uma situação que a roda econômica não pode parar, visão semelhante ao que Jair bolsonaro defende no Brasil.

Apesar de não decretar quarentena, uso de máscara é obrigatório no país
Reprodução Twitter
Apesar de não decretar quarentena, uso de máscara é obrigatório no país

"A Turquia é um país que, em todas as condições e circunstâncias, deve manter a produção e garantir que as rodas continuem girando", afirmou o chefe de estado.

Segundo o Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças, a Turquia já atingiu 61.049 casos do novo coronavírus - números disponibilizados na última segunda-feira (14). Até o último balanço, eram contabilizadas 1.296 mortes número que dobrou nos últimos 8 dias.

Leia mais: Covid-19: Primeira-ministra da Nova Zelândia reduz 20% do próprio salário

O modelo de isolamento vertical na Turquia funciona de forma que apenas alguns grupos são restritos às atividades comuns, são eles: crianças, adolescentes e idosos. Deste modo, pessoas de 20 a 65 anos estão liberados para circular pelas ruas e exercerem força de trabalho; no entando, para estes, máscaras de proteção individual são obrigatórias no país.

Sindicatos na Turquia têm pedido que o governo interrompa todo o trabalho que não seja essencial por pelo menos 15 dias. "É importante para proteger os trabalhadores e impedir a propagação da epidemia", diz documento da confederação de sindicatos turcos. 

Veja também: ONU, China e outros líderes criticam Trump após corte do financiamento à OMS

O ministro da saúde do país também se mostra contrário à opinião do presidente, e chegou a afirmar que o sucesso da Turquia no combate ao Covid-19 depende do isolamento. "O vírus ganha por meio do contato. Não vamos dar essa oportunidade ao vírus. Vamos ficar em casa", pediu. Não há, porém, decreto de quarentena no país, ainda que os infectados estejam sendo monitorados por dados de celular.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários