Guterres criticou a postura do presidente dos EUA, Donald Trump
Casa Branca
Guterres criticou a postura do presidente dos EUA, Donald Trump


O corte do financiamento à Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciado pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump , na noite de terça-feira (15), não foi bem recebido ao redor do mundo. A Organização das Nações Unidas (ONU), a China, e outros líderes mundiais repreenderam a postura do norte-americano, por acreditarem que isso vai enfraquecer o combate à pandemia de Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

O secretário geral da ONU, António Guterres , afirmou que esse “não é o momento” para uma decisão dessa natureza e pediu união entre os países.

“Agora é o momento para união e para que a comunidade internacional trabalhe junto na solidariedade para combater os vírus e suas consequências desvastadores”, afirmou Guterres. Eu acredito que a Organização Mundial da Saúde deve ser apoiada, pois é absolutamente essencial para os esforços mundiais para vencer a guerra contra a covid-19”, completou.

A China se manifestou por meio do porta-voz Zhao Lijian, dizendo estar “profundamente preocupada” com o anúncio feito por Donald Trump .  “Esta decisão vai reduzir a capacidade da OMS e minar a cooperação internacional contra a epidemia”, lamenbtou Lijian.

Leia também: Trump recua postura agressiva e dá autonomia a governadores

Alto  representante da União Europeia, o espanhol Josep Borrel também se manifestou. “Não há nenhuma razão que justifique este movimento em um momento no qual os esforços são mais necessários do que nunca”, disse.

Aliado

Já o primeiro-ministro da Austrália, Scott Morrison, apesar de concordar com críticas de Trump à OMS , não apoiou o corte. “A OMS também é uma organização que faz um trabalho muito importante, inclusive na nossa região no Pacífico, e nós trabalhamos junto com eles”, ponderou.

Instituições ligadas à saúde, como a Universidade Johns Hopkins , fizeram coro às críticas ao presidente dos EUA. “Esse movimento transmite a mensagem errada em meio a uma epidemia”, lamentou o Dr. Amesh Adalja.

    Veja Também

      Mostrar mais